#Vida Saudavel:

Probioticos no tratamento da Disbiose

postado por Gabriela Wildner

É bastante comum que recorramos a dietas e ao uso de suplementos alimentares no intuito de melhorar nossa composição corporal e saúde. Contudo, não é menos comum que tais esforços não surtam os efeitos esperados. Isso pode ser decorrência de vários fatores, dentre os quais a disbiose.

A disbiose é  caracterizada pelo predomínio das bactérias patogênicas sobre as bactérias benéficas – o que interfere na integridade fisiológica e funcional do trato gastrointestinal. O intestino é tido hoje como o órgão central do organismo, o grande responsável pela saúde. Havendo melhora da função intestinal, que pode ser obtida através da alimentação, há uma melhora generalizada do organismo. Alimentação saudável é não só a receita para a prevenção da disbiose intestinal, como também para diversos outros males. Seus principais sintomas são constipação e/ou diarreia frequente, flatulência, distensão abdominal, sintomas associados à fadiga e até mesmo mudança de humor – já que ocorre uma menor absorção dos nutrientes formadores de serotonina (hormônio do bem estar). O intestino é o órgão central do organismo, o grande mantenedor de saúde. Quando se melhora a função intestinal, há uma melhora generalizada das funções do organismo, aumentando-se a absorção de todos os nutrientes recebidos.

Além disso, a microbiota intestinal sintetiza vitaminas, principalmente as do complexo B, essenciais no fornecimento de energia ou inibição de macromoléculas estranhas que levam a diversas desordens.Não possuindo um intestino íntegro para a seleção, absorção e utilização dos nutrientes, o eventual aumento na ingestão de proteínas (como o uso de Whey Protein ) não produzirá resultados satisfatórios em ganho de massa.

Na busca de um intestino mais saudável, é bastante comum a utilização das bactérias benéficas (os probióticos) representadas pelas Bifidobactérias e Lactobacilos. Uma vez atingido o equilíbrio intestinal, o incremento nos seus níveis de absorção fará com que o organismo consiga aproveitar melhor os nutrientes ingeridos. Ao absorver vitaminas e minerais em quantidades adequadas, evita-se a fome oculta, que ocorre quando o organismo sinaliza a falta de nutrientes e incentiva a comilança.

Podemos concluir que, para as pessoas sadias, o consumo regular de probióticos contribui para um intestino saudável, desde que aliado a outros fatores nutricionais e a um estilo de vida equilibrado. Procure entender, portanto, quem são e por que vale a pena incluí-los na sua vida.
disbioseVeja que a disbiose altera o funcionamento das linhas de defesa do intestino e isso pode ser associado a diversas doenças, como mostradas na figura:

disbiose2

 

Deixe seu recado para esclarecimento de dúvidas!

#Vida Saudavel:

APP’s auxiliam em dietas

postado por Gabriela Wildner

Gabriela WildnerOlá amigos, sou Gabriela Wildner, nutricionista formada em 2011 pela Universidade Federal de Santa Catarina, pós-graduanda em Nutrição Esportiva Funcional pela VP. Atuo na área de nutrição clínica, atendendo pacientes atletas, praticantes de atividade física, grávidas, gestantes e pacientes bariátricos. Faço parte da equipe do Dr. Celso Empinotti, referência nacional em gastroenterologista.  Trabalho com o que amo. Saio do consultório todos os dias agradecendo pelo que faço e busco sempre levar o máximo de informação aos meus pacientes.  Poder ajudar as pessoas a ter uma alimentação e vida mais saudável me deixa realizada. Valorizo muito a natureza, a saúde e o bem estar. É gratificante observar o bem que isto proporciona aos meus pacientes quando eles adotam este mesmo estilo de vida.

Vou começar postando um vídeo onde dei uma entrevista que fala sobre os aplicativos de celulares que “auxiliam” nas dietas, uma vez que estimulam o desempenho, são motivadores, mas não cabem a qualquer um. Toda essa conscientização atual acerca da importância de uma alimentação saudável é muito positiva. Porém, deve ser ressalvado que cada pessoa, cada organismo, tem sua especificidade. Nem sempre o que surte efeito para uma pessoa surtirá pra outra. Às vezes, inclusive, pode acabar prejudicando. Um exemplo disso é a utilização do chá verde, muito em moda hoje em dia. Realmente, o chá verde traz vários benefícios à saúde (além de hidratar, ele é termogênico, antioxidante, hipoglicemiante), porém, se administrado juntamente com as refeições de uma pessoa com anemia (que tem deficiência de ferro), ele acabará dificultando essa absorção. Por outro lado, no caso das pessoas que têm excesso de ferro,  o interessante seria administrar o chá verde juntamente com as refeições,  objetivando  diminuir sua  absorção.

breakfast still-life. green tea with  fresh mint leaf

Este post foi apenas uma apresentação minha e principalmente um alerta para a importância da procura por um profissional na hora de reeducar a alimentação, tomar vitaminas,  suplementos, etc…ok?!  Voltarei com novidades e tentarei sempre responder as dúvidas que surgirem. Serão bem vindas sugestões de temas também!

Entrevista:

Gabriela Wildner

Nutricionista Funcional – CRN103481