#Arquitetura:

Livros

postado por Amanda Sayuri

A coluna de hoje é inspiração pura!!! Pra quem gosta de ler, pra quem gosta de livros e pra quem gosta de espaços com personalidade. Se você é daqueles que, como eu, é louco por livros, vai gostar das referências abaixo! Que tal tirar seus exemplares das prateleiras convencionais e ousar um pouquinho?  Aquilo que a gente curte ler diz muito sobre o que a gente é. Colocá-los a mostra é imprimir o nosso estilo no ambiente… Coffee Table books, livros de culinária, de moda, de design, de arte, edições limitadas, romances água com açúcar, poesias, crônicas, guias de viagem, clássicos ou o best seller da última semana…  Seguem alguns ótimos exemplos onde eles são os protagonistas na decoração:

livros1

livros2livros3  livros4 livros5

Com esse sistema de fixação, é possível criar a ilusão de que os livros estão voando!

livros6livros7  livros10

Os Coffee Table Books, repletos de imagens em grande formato e de mensagens de fácil captação, são pensados como ornamentos e, ao serem colocados nas áreas de recepção, inspiram conversas entre os convidados.

livros29livros12

livros14 livros15 livros16 livros17 livros18 livros19 livros20 livros21 livros22 livros23 livros24 livros25 livros26 livros27 livros28livros30livros31livros32 As opções são muitas!!! E não há limite para a criatividade. A dica é tentar fazer com que as cores componham bem com a paleta adotada na decoração do restante do ambiente (isso pode acontecer através de composições tom sobre tom ou até mesmo de contraste!). Também é importante considerar a proporção dos elementos e a funcionalidade, para que uma pilha de livros não fique no meio do caminho de ninguém!  Considerando esses pontos, vale tudo!!! Só não vale, na minha opinião,  comprar livro por metro (juro que isso existe!!!). Porque daí perde-se toda a graça de contar a nossa história, de pincelar a nossa personalidade na decoração…  Adoro quando vejo um table book na casa de alguém e junto vem a narração de como ele foi parar ali… (Já perceberam como as pessoas mais interessantes sempre tem uma história pra contar?)

Se você curtiu a ideia, mas ainda não tem sua biblioteca particular, pode pegar aqueles livros antigos na casa da avó, usar revistas, pedir um Taschen de presente no próximo aniversário ou reservar um espacinho na mala da próxima viagem!  E assim, aos pouquinhos mesmo, a casa da gente vai ficando com cara de “casa da gente”!

Fontes:

As fotos foram tiradas dos seguintes sites:

http://www.olhardemorado.com/

http://www.claudiadalpozzo.com.br/

http://cantinhodabbel.com.br/

http://www.glamourets.com.br/

http://blog.missmeg.com.br/decoracao/

http://www.viladoartesao.com.br/

http://www.viladoartesao.com.br/

http://www.designboom.com/

http://www.dailyhomedecorideas.com/

http://www.invitesweddings.com

http://www.2014interiordesignarticle.com/

http://www.smallroomideas.com/

http://www.decoist.com

http://www.thekeypieces.co.uk/

http://gildedmint.blogspot.com.br/

http://livrosechocolates.blogspot.com.br/

https://www.juv.com.br/

http://www.blog-orangedesign.com/

http://pitadadecultura.blogspot.com.br/

http://wheremyheartresides.com/

 

 

 

 

#Arquitetura:

Cadeiras e Poltronas

postado por Amanda Sayuri

É muito difícil tomar decisões sem antes conhecer um pouco mais sobre o assunto em questão!  Pensando nisso, resolvi apresentar aqui pra vocês alguns dos clássicos do design quando se fala em cadeiras e poltronas. Assim, fica mais fácil escolher em qual peça investir na hora de montar o seu espaço.  É claro que o apelo visual, ergonomia e a composição com o resto do ambiente são itens que contam muito na hora da escolha, mas eu acho que é importante saber a história por trás de cada uma para que se compreenda o seu real valor! Escolha a sua preferida e saiba um pouquinho mais sobre ela!

EAMES LOUNGE CHAIR E OTTOMAN, de Charles e Ray Eames

Apesar do discurso funcionalista, onde “o que funciona é melhor do que o que é bonito”, o casal de designers norte-americanos CHARLES e RAY EAMES, projetou, entre muitas outras coisas, algumas das mais belas peças de mobiliário do século passado! Eles diziam que o que looks good pode mudar, mas o que funciona, permanece. Passadas algumas décadas, as peças que eles desenharam continuam funcionando e sendo LINDAS!

Essa poltrona foi desenvolvida para o amigo do casal, Billy Wilder, o diretor de “Some Like it Hot”. Apesar de, a princípio, ter sido definida pela Ray como “confortável mas sem design”, é hoje um dos ícones do mobiliário moderno, merecendo um lugar no MoMA, em NYC.

cadeiras1

EAMES MOLDED PLASTIC ARMCHAIRS  E CHAIRS, de Charles e Ray Eames

Dos mesmos designers, essas cadeiras são bem conhecidas, podendo ter braço (Armchair) ou não. A base pode ser em madeira, como nas fotos abaixo, ou em metal. E as cores são diversas! Foram elaboradas de forma a distribuir o peso e a pressão de quem senta nela, visando maior conforto. Tanto é que, durante algum tempo,  a Herman Miller (a empresa que produz  as peças dos Eames) dava para suas funcionárias grávidas uma cadeira dessas de presente!

cadeiras3cadeiras4

 

SERIES 7, de Arne Jacobsen

ARNE JACOBSEN foi um arquiteto e designer dinamarquês que desenvolveu algumas das peças de mobiliários mais vendidas de todos os tempos. Vocês com certeza irão reconhecer as peças abaixo! A Series 7, desenhada em 1955,  oferece muita praticidade, sendo leve e empilhável. Ela era ser considerada como o ápice da técnica de madeira laminada na época!

cadeiras5

EGG, de Arne Jacobsen

O JACOBSEN  foi  o arquiteto responsável pelo Royal Hotel, em Copenhagen, quando teve a oportunidade de integrar arquitetura com o design de mobiliário. Ele desenhou, então,  essa poltrona especialmente para o lobby e recepção  do Hotel.

cadeiras2

SWAN, de Arne Jacobsen

A famosa SWAN também foi projetada pelo JACOBSEN para o mesmo Royal Hotel , e ganhou destaque na época como uma inovação tecnológica na época por não apresentar linhas retas, apenas curvas.

cadeiras6

TULIP, de Eero Saarinen

A cadeira que a gente conhece como “tulipa” foi desenhada pelo finlandês Eero Saarinen, em 1955. Ele foi sócio de Charles Eames e eles influenciaram muito o trabalho um do outro.  A tulipa é um clássico do design industrial, de produção em massa, e foi considerada uma cadeira futurísticas por muito tempo. Ela foi, inclusive,  utilizada na série de TV Star Treck. Sendo a primeira cadeira a ser produzida com apenas um pé, ela também tem versões com e sem braço.

cadeiras7

 

BARCELONA, de Mies van der Rohe

Essa peça é de autoria do grande arquiteto da Bauhaus Mies van der  Rohe.  Foi desenhada para o Pavilhão Alemão na Feira Internacional de 1929, que aconteceu em Barcelona.  O pavilhão como um todo é considerado um dos elementos mais importantes da história da arquitetura moderna, reconhecida por suas formas puras e simples. A poltrona Barcelona torna-se, assim, um dos ícones do movimento moderno.

cadeiras8WILLOW, de Mackintosh

Com formato de meia lua, essa cadeira foi projetada em 1904 pelo arquiteto escocês Charlie Rennie Mackintosh  para a Willow Tea House (Casa de chás) localizada em Glasgow, nas Escócia. O trabalho com linhas horizontais e verticais é fruto da influência do design japonês.

cadeiras9

MASTERS, de Philippe Starck

Quando se fala em design contemporâneo, é impossível não citar Starck. O francês é mundialmente conhecido e suas colaborações junto a marca Kartell (vale a pena conhecer a loja deles em SP!) são sinônimo de sucesso! Essa cadeira Masters é uma homenagem a 3 ícones do mobiliário moderno, já citados acima. Seu desenho é formado pela silhueta da Series 7 do Jacobsen, da Molded Plastic Chair de Eames e da Tulip do Saarinen. Além da história que carrega, ela é linda e prática!

cadeiras10 cadeiras11

LOUIS GHOST, de Philippe Starck

Criada em 2002, essa cadeira pós-moderna  faz uma homenagem ao design clássico das poltronas Luís XV. Feita em policarbonato injetado, ela é prática e resistente! E leve em todos os sentidos! Starck marcando seu nome na história do design mais uma vez.

 cadeiras12 cadeiras13

MADEMOISELLE, de Philippe Starck

Essa cadeira, também da Kartell por Starck, já sofreu a colaboração de vários estilistas, como Dolce&Gabbana, Missoni, Moschino e Valentino! Como ela possibilita o uso de estampas, cada  um pode imprimir sua personalidade através do tecido que será utilizado.

cadeiras14

MOLE, de Sérgio Rodrigues

O design brasileiro também tem seus ícones! Dentre eles, a minha preferida é a deliciosa e internacionalmente premiada Poltrona Mole,  que foi desenhada por um dos maiores designers brasileiros: Sérgio Rodrigues! Feita para se “esparramar” displicentemente! Ela colaborou imensamente na projeção do design brasileiro no cenário mundial. Dá pra entender o por quê, né?

cadeiras15

VERMELHA, Irmãos Campana

Quando foi criada pelos irmãos brasileiros, em 1993, essa peça foi um fracasso. Apenas após ser descoberta pela empresa italiana EDRA é que alcançou o posto de ícone. Hoje é fabricada na Itália, que a exporta para o Brasil. Apesar de ser considerada de design italiano, nós bem sabemos que os Campana são mesmo é brasileiros!

cadeiras16PAULISTANO, Paulo Mendes da Rocha

Essa cadeira foi criada em 1957 por um dos maiores arquitetos modernistas brasileiros ainda vivos (ele ganhou em 2006 o Prêmio Pritzker, que é considerado o Oscar da Arquitetura).  Ela foi reeditada em 2004 e é sucesso na Europa! Os traços são simples, mas o charme fica por conta do contraste entre a frieza do aço e o conforto do couro .

cadeiras17

RIO, Oscar Niemeyer

É claro que as curvas e a leveza não poderiam faltar, já que estamos falando de Niemeyer! A espreguiçadeira foi desenhada em 1978, ela se apoia em um só ponto, permanecendo em balanço nas extremidades. A produção desse ícone do design brasileiro é artesanal.

cadeiras18

BOSSA, Jader Almeida

Para finalizar, um pouco de design contemporâneo brasileiro: Jader Almeida. Sem dúvidas, o catarinense é um dos maiores nomes do design no momento.  Nas peças Bossa,  ele conseguiu uma linguagem contemporânea, mas trazendo um pouco da memória cultural do design brasileiro, ao trazer de volta a palhinha. Sou apaixonada por essas peças!

cadeiras19

cadeiras20 cadeiras21

Bom, já me estendi demais! Agora não cometam mais a gafe de confundir a Tulipa com a Swan!  Espero que tenham gostado, principalmente das peças brasileiras, que são lindas e são expressão da nossa cultura. E, muitas vezes, são mais valorizadas por quem é de fora do que por nós mesmos!

 

Beijos e até a próxima!

 

#Arquitetura:

Maison et Objet

postado por Amanda Sayuri

Oi gente! Essa semana estou de volta, mantendo o mesmo tema da semana passada: TENDÊNCIAS. Na última semana de janeiro aconteceu a Maison &Objet em Paris, uma das maiores feiras na área de artigos Decoração do mundo. Criada em 1995, ela acontece duas vezes por ano na capital francesa (a próxima é entre 5 e 9 de setembro). Esse ano acontecerá também em Singapura e, em 2015, haverá uma edição em Miami. A proposta da feira é unir em um só lugar todo tipo de coisas e arte que se relaciona com o morar – objetos, mobiliário, equipamentos para a casa –, decifrando tendências, apresentando inovações, revelando talentos e oferecendo fontes de inspiração. Ela é voltada para os profissionais da área, mas os consumidores finais mais antenados também marcam presença. Apesar de não ter ido à feira, dei uma garimpada em sites especializados e selecionei os objetos que tiveram mais destaque nessa edição! O tema foi “Elsewhere” – que se traduz por “outro lugar”. O conceito leva a um convite para viagens em busca de novos horizontes, lugares inexplorados, maravilhas desconhecidas. Visa estimular experiências novas em lugares diferentes, bem ao estilo de Globetrotters e nômades, num processo de construção de um mundo mais dinâmico, fluido, cosmopolita e, ainda assim, mais humano. Vamos ver se alguma dessas peças vai contagiar você:

Untitled1

Tables T, por Jaime Hayon (Bosa)

Untitled2

Vaso Harcourt, revisitado por Nendo (Baccarat)

Untitled3

Sofá Grand Piano, (Gubi)

Untitled4

Cadeira pivotante Indochine, por Charlotte Perriand (Louis Vuitton e Cassina)

Untitled5

Poltrona Artu, por Thierry Lemaire (Fendi Casa)

Untitled6

Espaço da Fendi Casa

Untitled7

Illusion Table por Roberta Rampazzo para Objekto

Untitled8

Sofa Paradise, por Kerstin Hörlin-Holmquist para Gubi

Untitled9

Cadeira Yi, por Michael Young (EOQ)

Untitled10

Mesa lateral Stud, por Bethan Grey

Untitled11

Poltrona Ruche, por Inga Sempé (Ligne Roset)

Untitled12

Reedição da cadeira Curule, por Pierre Paulin para Lignet Roset

Untitled13

Cadeiras Copacabana, estante Demon e mesa de café Copacabana por Mathieu Matégot

Untitled14

Luminárias da belga Spiridon

Untitled15

Luminárias de Thiaerry Gaugain para Blackbody

Untitled16

Cadeiras da coleção RE-IMAGINED da 19 Greek Street

Untitled18

Pendente Copenhagen, por Space Copenhagen

Untitled19

Cadeira Trame, por Amandine Chhor e Aissa Logerot

Untitled20

Ambiente da Miss Print

Untitled27

Ambiente da Roberto Cavalli Home

Untitled28

Castiçal com partes automotivas Cog Collection, por Tom Dixon

Untitled21

Castiçais com partes automotivas Cog Collection, por Tom Dixon

Untitled22

Lustre globo, por Tom Dixon para Swarovski

Tom Dixon, um badalado designer britânico, foi nomeado “O Designer do Ano” nessa edição da Maison &Objet. Pelo seu trabalho, ele mereceria um post exclusivo! Deem uma olhada nessas luminárias que ele desenhou anos atrás e entendam por que eu o adoro:

Untitled23 Untitled24 Untitled25 Untitled26

Aqui no escritório a gente sempre fala que a casa tem que ter a cara do morador. A coisa mais sem graça que tem é aquela casa que parece ter saído da capa de uma revista, mas que “poderia ser de qualquer um”. Pra gente, um projeto de interiores de sucesso é aquele que conta a história do cliente. Então, bato na tecla de que de nada adianta escolher uma peça decorativa apenas por ser tendência ou estar na moda. Esse tipo de referência serve para nos inspirar quando estamos na busca e não temos certeza sobre aquilo que queremos. Assim como na moda, para decorar sua casa você deve seguir tendências quando realmente se identifica com elas! Quando lhe cai bem. Aí, não tem erro!

 

Fontes:

http://www.vogue.com.au/vogue+living/design/best+in+show+maison+objet+paris+2014,29201

http://www.admagazine.fr/decoration/diaporama/maison-objet-2014-le-best-of/4588#!19

http://www.elledecor.com/shopping/the-best-of-maison-et-objet#last-slide

#Arquitetura:

A COR DE 2014

postado por Amanda Sayuri

amanda sayuri Olá, me chamo Amanda Sayuri! Sou formada em Publicidade e Propaganda e no momento estou cursando os últimos semestres de Arquitetura e Urbanismo na UFSC! Sou sócia de uma amiga e arquiteta, Clara Machado no Studio Sayuri Machado Arquitetura. Estou aprendendo no dia-a-dia as dores e delícias da profissão, e vou dividir aqui um pouco daquilo que me inspira.

Cor é vida! As cores exercem grande influência sobre o nosso humor, sobre a percepção que temos das coisas e sobre as nossas sensações. As pessoas optam por uma cor ou outra quase que intuitivamente, e ela representa muito sobre o que você é (ou como está se sentindo no momento). Quem trabalha com design, publicidade, arquitetura e decoração sabe a importância que o uso correto das cores tem! Esses profissionais certamente conhecem a Pantone, empresa mundialmente conhecida por seu sistema de cor. A alta regularidade e padrão do sistema numérico de tintas que eles desenvolveram, tornou mais confiável chamar e especificar uma cor pelo seu número Pantone do que por um nome. É através da Tabela Pantone que podemos ter certeza que a cor e o tom selecionados pelo profissional será exatamente (ou quase isso) aquela que o fornecedor irá produzir e entregar! Afinal, o que é rosa claro para mim, pode ser rosa pastel para você. Sendo autoridade no assunto, eles lançam desde 2000 o que chamam de Cor do Ano! E não é apenas uma sugestão, eles chegam a essa cor através de pesquisas de tendências. Percorrem o mundo e exploram as mais variadas áreas, elegendo o tom que acreditam que vá dominar o ano seguinte, que vá influenciar o desenvolvimento de produtos, decisões de compras em várias indústrias, incluindo moda, casa e design industrial, bem como embalagens de produto e design gráfico. E a cor apresentada para 2014 é o Radiant Orchid (orquídea radiante), representada pelo código PANTONE 18-3224. Nas palavras da diretora executiva do Pantone Color Institute, a cor do ano é cativante, um convite para a inovação e estimula a criatividade e originalidade expandida, o que é cada vez mais valorizado na sociedade de hoje. Composta por uma harmonia entre fúcsia, roxo e rosas rebaixados, a cor Radiant Orchid inspira confiança e emana alegria, amor e saúde.

Untitled12

Untitled22

Untitled18

Untitled20

Untitled21

Para a sua aplicação em Design de Interiores, a sugestão é que se utilize em peças de destaque da decoração e assessório. Como é bastante adaptável, o Radiant Orchid complementa verdes olivas e os mais profundos verdes florestas, resultando também numa combinação linda com turquesas, verde azulado e com amarelos leves. E, claro, essa cor vibrante é perfeita para animar os neutros, como cinzas, beges e grafites. Então, para os menos ousados, a sugestão é manter a base mais neutra e pincelar o tom do momento em peças decorativas que podem ser trocadas com mais facilidade. Já aqueles que gostam de encarar uma mudança mais radical, vale investir em peças maiores, como sofás, ou mesmo paredes inteiras.

Untitled23

Untitled24

Untitled25

Untitled28

Untitled26

É fato que essa escolha da empresa sempre influência o mundo do design e da moda! Portanto, se você estava em dúvida sobre em qual cor apostar para dar aquela mudada no quarto, ambiente de trabalho ou qualquer outro cantinho, a dica está dada! Para mais inspirações, busquem #coloroftheyear no Instagram. Mas não esqueçam – NUNCA – que o mais importante é que a cor utilizada traduza o que você é, ou transmita aquilo que você busca ser. E para isso, nada mais confiável que a nossa própria intuição!